Jesus lamenta sobre Jerusalém

Introdução: Mt 23:37-39 

É bem significante que o capítulo que, mais que qualquer outro, contém os ais do Senhor Jesus, termine com suas lágrimas! Depois de sua forte denúncia dos fariseus, ele profere um lamento pungente sobre a cidade de oportunidade perdida. A repetição do nome o Jerusalém, Jerusalém" é dirigida com emoção incalculável. Ela tinha matado os profetas e apedrejado os que foram enviados, mesmo assim o Senhor a amava, e quantas vezes com amor e proteção teria reunido os seus filhos a si, como a galinha ajunta os seus pintinhos, mas ela não quis. 

 

Ao terminar seu lamento, o Senhor Jesus disse: Eis que a vossa casa vos ficará deserta. Primariamente, a casa aqui é o templo, mas pode também incluir a cidade de Jerusalém e a própria nação. 

Haveria um intervalo entre sua morte e a segunda vinda, durante o qual o descrente Israel não o veria (depois da sua ressurreição ele foi visto somente pelos crentes). 

O versículo 39 antecipa o segundo advento, quando uma porção crente de Israel o aceitará como o Messias-Rei. Essa aceitação é implícita nas palavras: Bendito o que vem em nome do Senhor. 

Não há sugestão de que os que mataram a Cristo terão uma segunda oportunidade. Ele estava falando de Jerusalém, e assim, pela metonímia, dos seus habitantes e de Israel em geral. A próxima vez que os habitantes de Israel o veriam depois da sua morte seria quando eles olhassem aquele a quem traspassaram e pranteassem por um unigênito (Zc 12:10). Na avaliação judaica não há pranto tão amargo como aquele por um unigênito.

 

 

Pr Jonas Neto