Fortaleza de Massada

Estas fortalezas na região do deserto estão espalhadas pelo vale do Jordão, desde Alexandrion, no norte, até Massada, no sul. De todos os pontos fortes no deserto, cujas ruínas podem ser vistas até nossos dias, a mais conhecida e sofisticada é, sem dúvida, a fortaleza de Massada, construída primeiramente por Alexandre Janeus, que foi o primeiro governante que percebeu o potencial existente nessa imponente montanha cercada de precipícios por todos os lados.

Massada, que foi transformada por Herodes em uma fortaleza inexpugnável, entrará na história cerca de cem anos mais tarde durante a guerra contra os romanos.

 

Herodes conhecia bem as vantagens e os pontos vulneráveis da fortaleza quando decidiu reconstruí-la, pois três anos antes de reinar sobre a Judéia, deixara sua família no topo da fortaleza de Massada, viajando para Roma em busca de auxílio na sua luta contra Antigonus, pelo poder em Jerusalém. Os familiares de Herodes e a guarnição que os protegiam foram sitiados no topo da montanha pelas tropas de Antigonus e quase morreram de sede, sendo salvos no último momento por uma chuva providencial. Herodes resolve reforçar o baluarte, construindo onze cisternas escavadas na rocha, com capacidade de armazenar cerca de quarenta mil metros cúbicos de água, que chegavam até as cisternas durante as chuvas torrenciais que caem uma vez ao ano nesta região.

Também foram acrescentadas altas muralhas e torres aos precipícios naturais que cercam a montanha por todos os lados. O único acesso à fortaleza era através da vertente oriental, pelo chamado caminho da serpente, por ser estreito e sinuoso. Os reservatórios de alimentos e de armas também não foram descuidados por Herodes, o que irá permitir, setenta anos depois, durante a guerra dos judeus contra os romanos, aos zelotes gozarem da fartura de alimentos e armas.

Afora melhorar o sistema defensivo, Herodes não desprezou os prazeres da vida mundana, construindo um palácio na região oeste da espia nada e outro palácio no norte. O palácio norte é a obra prima de Massada, construído à beira do precipício, utilizando os degraus naturais existentes na pedra para criar uma obra arquitetônica em três diferentes níveis, simbolizando a filosofia herodiana de desafiar a natureza. Neste palácio foram aplicadas todas as inovações e luxos da época, desde finos mosaicos a sofisticados banhos decorados por afrescos, sendo a parte externa das construções cobertas de estuque, imitando mármore, como mandava o modismo de época. A fortaleza de Massada irá entrar na consciência histórica universal não só como monumento arquitetônico de primeira grandeza, porém, antes de mais nada, como último baluarte dos judeus na guerra contra os romanos, símbolo do heroísmo dos rebeldes que resolvem optar pela morte e não pela escravidão.

 

Pr Jonas Neto